sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A Fenda - Poema de Leonor Carvalhão

A Fenda


Espreitei de novo pela fenda.
Gente cansada
Depois de uma longa viagem.
A cidade estava sobrelotada,
Há já alguns dias.
Notei pela minha estalagem.
O frio gelava-me não só os dedos,
Mas também os pés
E, aos poucos, o coração.

Voltei a recolher-me para o fogo,
Arder os medos,
Evitar a confusão.
Dois lutavam por um naco seco,
As mulheres envolviam os pequenos
Que pediam consolo sem razão.
O lume crescia,
E brandia cheio de vida.

Já eram horas altas,
Escasseava a comida
E ainda nem se avistava a merenda.
Bateram de novo na porta,
De novo espreitei pela fenda.
E o desespero, que me gritava num sussurro
Que não cabia mais alma alguma!
Mas espreitei,
Um homem, e uma linda senhora
Montando um burro
Trazendo mais coisa alguma.
“Está lotado, procure outro lado.”
Mas suplicava, por favor,
Fazia frio, e a senhora grávida.
“Não queremos cama, apenas um lugar,
Uma dádiva seja lá onde for.”
Olhei a senhora, e então,
Descongelou-se-me o coração.
O seu véu esvoaçava
E me levava o desespero e o medo.
Estiquei o dedo, em frente,
E indiquei-lhes o caminho.
Não era muito grande, o estábulo,
Mas serviria perfeitamente…
Fechei a porta, de mansinho.

Estávamos ao redor do lume
Quando um grito cortou o ar,
Os sinos começaram a soar,
As mulheres ajoelhavam-se,
Os homens tiravam o chapéu.
Espreitei pela fenda,
E ao fundo, por cima do estábulo,
Nascia uma enorme estrela no céu.

Leonor Carvalhão (ex-aluna)
Natal 2011

domingo, 11 de dezembro de 2011

Conheces a história dos Direitos Humanos?

Um documentário produzido pela humanrights.org que conta toda a história dos Direitos Humanos!

sábado, 10 de dezembro de 2011

E-book sobre Direitos Humanos

Uma selecção de recursos (vídeos, sites, sugestões de livros...) sobre Direitos Humanos num e-book que as Biblioteas Escolares produziram no ano passado:

Myebook - Direitos Humanos - click here to open my ebook

Hoje - Dia Mundial dos Direitos Humanos

Faz hoje 63 anos que a Declaração Universal dos Direitos do Homem foi assinada. Conhece-a neste belíssimo trabalho:

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Conhece os casos da Maratona de Cartas 2011

Estes são os 5 casos que a Amnistia Internacional selecionou e para os quais pedimos que colabores nesta campanha escrevendo as cartas de apelo:

Inés Fernández Ortega e Valentina Rosendo Cantú - México - foram violadas por soldados mexicanos em 2002. Apesar de terem apresentado queixa às autoridades e seguido os seus casos, nenhuma investigação concreta teve lugar e ninguém foi levado perante a justiça. Os casos destas mulheres têm sido tratados de forma desadequada pelos tribunais civis. As mulheres e as suas famílias têm sido alvo de ameaças e intimidação.

Residentes de Port HarcourtNigéria - desde 2000, mais de dois milhões de pessoas foram desalojadas à força na Nigéria. Milhares de pessoas continuam em risco de perder as suas casas. Não foi levado a cabo nenhum tipo de mecanismo de consulta dos residentes antes da demolição e não foram dados qualquer tipo de aviso, compensação, alternativa de habitação ou soluções legais, apesar de isto ser exigido pelos critérios internacionais de direitos humanos. A 12 de Outubro de 2009, 12 manifestantes foram baleados pelas forças de segurança na zona ribeirinha de Bandu em Port Harcourt, no estado de Rivers, enquanto participavam numa manifestação pacífica contra a demolição das suas casas.

Campo de Prisioneiros políticos de Yodok - Coreia do Norte - Estima-se que cerca de 50.000 homens, mulheres e crianças estejam actualmente detidos no campo de prisioneiros políticos Yodok na Coreia do Norte. Yodok é um dos seis campos conhecidos no país, nos quais se estima que 200.000 prisioneiros políticos e as suas famílias estejam detidos sem julgamento ou no seguimento de julgamentos claramente injustos. Os detidos, incluindo crianças, são torturados, obrigados a trabalhar em condições perigosas e muitas vezes executados por desrespeitar regras do campo, tais como, roubar comida.

Natália Estemirova – Rússia - ativista de Direitos Humanos foi raptada e assassinada por homens armados a 15 de Julho de 2009 em Grozny, na Chechénia. De acordo com testemunhas oculares, foi forçada a entrar num carro à porta de sua casa, enquanto gritava que estava a ser raptada. O seu corpo foi encontrado algumas horas mais tarde na vizinha República de Ingushetia. Tinha sido baleada à queima-roupa. Ainda não há sinais de que os responsáveis, incluindo os mandatários, sejam levados perante a justiça.

Hamad al-Neyl Abu Kassawy – Arábia Saudita - Hamad foi preso em Madina, na Arábia Saudita, a 26 de Junho de 2004. A sua família não recebeu qualquer informação até Fevereiro de 2005, quando um cidadão saudita que tinha visitado a prisão em Madina lhes disse que Hamad aí estava preso sob suspeita de pertencer a uma organização islâmica. Hamad trabalhava como “caixeiro-viajante” viajando entre o Sudão, a Síria e os Emirados Árabes Unidos, comprando e vendendo bens domésticos e roupa. A acusação de terrorismo de que é alvo parece dever-se às frequentes visitas que em trabalho, realizava a estas regiões.

Hamad é um dos milhares de pessoas detidas na Arábia Saudita que são frequentemente detidos durante anos antes de serem julgados, sem acesso a advogados ou tribunais que possam questionar a legalidade da sua detenção.

Nos dias 12 e 13 de dezembro estaremos junto ao pavilhão A. Participa nesta campanha!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Maratona de Cartas 2011

Uma carta pode salvar uma vida! Este é o mote da Maratona de Cartas, o maior evento de Direitos Humanos organizado pela Amnistia Internacional. Durante estes dias milhares de pessoas espalhadas pelo mundo terão a oportunidade de escrever cartas em prol de indivíduos e comunidades em risco. O objectivo é chamar a atenção para estes casos, o que poderá resultar numa melhoria das condições dos indivíduos e comunidades visadas.


A Amnistia Internacional selecionou estes 5 casos:

Inés Fernández Ortega e Valentina Rosendo Cantú - México
Residentes de Port Harcourt – Nigéria
Campo de Prisioneiros Políticos de Yodok - Coreia do Norte
Natália Estemirova – Rússia
Hamad al-Neyl Abu Kassawy – Arábia Saudita


Na ESFA vamos nos dias 12 e 13 colaborar neste evento pedindo-te que juntes a tua assinatura às milhares de outras assinaturas, que em todo o mundo serão enviadas às entidades que poderão resolver estes casos de nítida violação dos Direitos Humanos. Assim, pedimos-te que colabores escrevendo as cartas de apelo que te disponibilizaremos e que contribuas com o valor do selo (0,68 € no caso da Rússia, 0,80 € nos outros casos).


Estaremos com a Associação de Estudantes junto ao Pavilhão A!


Contamos contigo para juntos fazermos a diferença!


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Este Mês na biblioteca...

Em dezembro assinalamos o Dia Mundial dos Direitos Humanos com várias atividades, entre as quais destacamos a “Maratona de Cartas 2011”, uma iniciativa da Amnistia Internacional, que decorrerá nos dias 12 e 13 deste mês e para a qual apelamos à participação de toda a comunidade. Mais informações sobre esta iniciativa serão divulgadas num próximo ”post”. Na biblioteca da ESFA estará a exposição “Controlar as Armas”, bem como poderão ser vistos vários trabalhos que os alunos realizaram no âmbito dos Direitos do Homem. A decorrer encontra-se o concurso “Textos para a Inclusão” cuja entrega dos trabalhos deverá ser concluir-se até dia 13 de janeiro.

Entre 13 e 15 de dezembro nas bibliotecas da GEA, ACO e Ex-Colégio vai realizar-se a Feira do Livro que contará com a presença do escritor e ilustrador Pedro Leitão que dinamizará sessões para os alunos do 1º ciclo. No dia 15, pelas 17 horas será feito o lançamento do livro “Angelina… uma luz ao fundo do espelho”de Fernando Marques Pereira e às 17h e 30m acontecerá a sessão de promoção da leitura “ Como incentivar o gosto pela leitura nos alunos?”. Ambas as ações destinam-se a toda a comunidade educativa.

Nas bibliotecas estão já disponíveis as obras para o Concurso Nacional de Leitura – “Livro” de José Luis Peixoto e “O Jardim das Delícias” de João Aguiar.

Há livros novos em todas as bibliotecas pelo que aconselhamos uma visita. Agora que as férias escolares se aproximam será uma boa ideia requisitar alguns!

Bom mês… boas leituras… um excelente final de período!

domingo, 4 de dezembro de 2011

Concurso Nacional de Leitura - Livros



Já se encontram na biblioteca as obras de leitura obrigatória para o Concurso Nacional de Leitura.

Livro de José Luís Peixoto (alunos do ensino secundário)

Livro é uma obra claramente dividida em duas partes, bem distintas. Na primeira narra-se a saga de Ilídio e Adelaide, num ambiente rural que atravessa os míseros anos da ditadura salazarista. Tempos de miséria e de fome. Fome de pão mas também de liberdade. Para Ilídio e Adelaide a felicidade era proibida pelo preconceito, pelo medo, pela pobreza de pão e de espírito.

Por todo o lado, a PIDE, o medo, a fome e a ignorância.

Neste reino de injustiça e obscurantismo a emigração ilegal para França, estimulada pelo fantasma de uma guerra colonial (que ninguém entendia) surge como a ponte para a salvação. Uma ponte de esperança mas também envolta em medos e perigos.

Na segunda parte do Livro, todo o tom da narrativa se modifica: a esperança renasce; a vida adquire tons mais vivos; o mundo ilumina-se. E o marco dessa mudança é o 25 de Abril. O amor de Ilídio e Adelaide ressurgirá finalmente; a vida passa a ser escrita na cor da esperança. Fonte: http://aminhaestante.blogspot.com/2010/10/livro-jose-luis-peixoto.html

O Jardim das Delicias de João Aguiar (alunos do ensino Básico):

Num dado momento histórico, situado para lá dos meados do século XXI, um jornalista farta-se do mundo em que vive. Esse mundo é a grande Federação Europeia, descendente directa da União Europeia. Uma Federação massificada, estupidificada, dominada pelos Estados mais poderosos, os quais, por sua vez, obedecem cegamente a grandes grupos económicos, que apenas se ocupam dos seus interesses.

Ao criticar violentamente esse mundo, o jornalista apercebe-se de que a liberdade de informação já não é o que era, e de que há mais descontentes do que ele julgava. Apercebe-se, também, de que, entre esses descontentes, cresceram e ganharam força certas ideologias que, no passado, mergulharam a Europa no caos. Aproxima-se o momento de um grande confronto — e ele encontra-se no meio do campo de batalha, incapaz de aderir a qualquer dos dois exércitos…

Um romance de grande actualidade, que demonstra a constante atenção do Autor aos mais prementes problemas do nosso tempo. (fonte: wook)

Não percas muito tempo para requisitar os livros e começares já a ler!