quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

O nosso pinheirinho dos Direitos Humanos


Projeto "Educar para os Valores"


Os alunos e docentes do 1.º ciclo estão a desenvolver o projeto "Educar para os valores". Neste 1.º período optou-se por trabalhar a amizade e a partilha. A Biblioteca Escolar envolveu-se nestas atividades e preparou para esta semana uma história e uma seleção de curtas metragens para apresentar a todos os alunos. Na passada 4ª feira as alunas Ana Margarida Rodrigues, Beatriz Pina e Carolina Vouga foram contar a história aos alunos do 1º e 2º anos da Escola Básica. 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos - 3º dia

O último dia do Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos foi dedicado ao tema da Pobreza e da Exclusão Social. Dinamizámos novamente a Maratona de Cartas 2014 e iniciámos a nossa sessão no auditório com a performance “Fantasmas da minha rua”, desta vez em formato vídeo, um trabalho da Cristiane, da Carolina e da Carina.
Foi nosso convidado o Dr José Machado da Rede Europeia Anti-Pobreza uma organização sem fins lucrativos, fundada em 1990 em Bruxelas, que está representada em 30 países através de 18 núcleos distritais. O Núcleo de Viseu iniciou a sua atividade em junho de 2005, com a finalidade de congregar um conjunto de instituições de solidariedade social do distrito, e desenvolver conjuntamente estratégias de intervenção social, com vista a erradicar/ atenuar a pobreza e a exclusão social. Foi atribuído a EAPN Portugal em 2010 o Prémio Direitos Humanos. Para além de uma breve explicação sobre o trabalho da EAPN, foi feita uma alusão à história da pobreza através dos séculos e dinamizadas com os alunos algumas dinâmicas que tornaram a sessão bastante interessante.
À tarde exibimos o filme “Quem quer ser bilionário?" realizado por Danny Boyle, vencedor de 8 categorias na edição dos Óscares de 2009.

E chegámos ao fim deste Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos. Aprendemos que os Direitos Humanos não são coisas fechadas na Lei e nos papéis e que, todos os dias, nos vemos confrontadas e confrontados com situações de desrespeito destes direitos, que ocorrem muitas vezes sem nos apercebermos. É, por isso, indispensável que mais gente conheça os Direitos Humanos, direitos universais e protegidos em qualquer parte do mundo, em qualquer circunstância. É, também, conhecendo-os que conseguimos perceber quando são desrespeitados e violados, para podermos levantar-nos contra todas as situações em que tal aconteça. Não basta revoltarmo-nos internamente, temos também de agir para mudar e, para isso, precisamos de aprender como. Afinal, como dizia Malala: “Um aluno, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo”.

Queremos agradecer a todos os alunos e professores que participaram nas atividades durante estes três dias e muito especialmente aos que connosco colaboraram de uma forma mais próxima – à professora Maria Aguiar e aos alunos do Curso Profissional de Artes do Espetáculo que nos presentearam a todos com as suas fantásticas performances; aos nossos convidados que dinamizaram as diversas sessões; às funcionárias Carla Pereira, Fátima Silva e Sr. Rui; às turmas do 10ºJ e 12ºJ que apoiaram o desenrolar das atividades; à nossa apresentadora, Daniela Lagarto que conduziu as várias sessões de forma bastante profissional e à direção da escola pelo apoio que deu para que este ciclo se realizasse. Muito obrigada!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Filomena - um filme que vale a pena ver!

Disponível na Biblioteca

Ciclo de Reflexão sobre Direitos humanos - 2º dia

Iniciámos o segundo dia do Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos com a Maratona de Cartas 2014, apoiando os 4 casos selecionados pela Amnistia Internacional:  Moses. Liu, Mulheres de Mkhondo e Chelsea. Contámos com a presença da Dra Patrícia Filipe do Núcleo de Viseu da Amnistia Internacional que ajudou a recolher diversas assinaturas durante o intervalo e que fez uma breve apresentação desta iniciativa e dos casos selecionados na sessão que se seguiu no auditório.

Comemorando-se hoje mais um aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, convidaram-se os alunos e docentes a despertar para situações de desrespeito dos direitos humanos (que não são apenas situações específicas de guerra ou de tortura) mas que estão presentes em todas as esferas da nossa vida e do nosso dia-a-dia. A este propósito, a Dra Maria do Céu Pinhel lembrou a importância do respeito que deve existir na escola, sobretudo nas salas de aula, lamentando que, principalmente nos últimos anos, as relações entre professores e alunos se tenham vindo a deteriorar, muito motivadas pela falta de respeito de alguns alunos que não sabem estar em lado nenhum.

O dia de hoje incidiu na temática do Tráfico de Seres Humanos, um crime que afeta 27 milhões de vítimas no mundo. Foi exibido o documentário “Os novos Escravos - um trabalho realizado pela SIC, com o apoio da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género. Filmado em Portugal, no Brasil e na Roménia, o documentário mergulha na problemática do tráfico de pessoas, um crime global, ao qual Portugal não escapa ileso.

Da parte da tarde, foi exibido o filme “Filomena” que se encontra disponível na biblioteca para quem não pode estar presente. 

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Ciclo de Reflexão de Direitos Humanos – 1º dia

Iniciámos o Ciclo de Reflexão de Direitos Humanos com a performance “Manifestamente Melhor – Direitos Humanos em 10 Mandamentos” dinamizada no hall de entrada da escola pelos alunos do Curso Profissional de Artes do Espetáculo. Um texto inédito, criado propositadamente para este evento. Seguiu-se a Marcha pelos Direitos com a colocação de cartazes na sala de convívio dos alunos. Às 10 h e 20 m teve lugar a 1ª sessão no auditório da escola, repleto de alunos. Repetiu-se a performance e o subdiretor do agrupamento, Dr. Fernando Espinha abriu oficialmente este ciclo de reflexão.

Antes de se passar ao tema do dia – a violência doméstica, ainda houve tempo para a exibição de um vídeo alusivo à Declaração Universal dos Direitos Humanos e para ouvir a Carolina Vouga declamar o texto “O teu namorado de 16 anos não é nervoso é uma besta!”.
Seguiu-se a Dra Ana Carvalho em representação do Núcleo de Atendimento às Vitimas de Violência Doméstica do Distrito de Viseu que abordou o tema Violência no Namoro e respondeu às várias questões colocadas pela plateia.

A tarde iniciou-se com a performance “Entre iguais não há géneros” dinamizada pela Rute, pela Bárbara e pelo Pestana. Novamente um texto inédito, criado durante as aulas com a professora Maria Aguiar. Seguiu-se um pequeno vídeo que nos conduziu através da história dos Direitos Humanos revelando o esforço que tem sido feito ao longo dos séculos para se conseguirem algumas conquistas (a abolição da escravatura, a aprovação da declaração universal) e o muito que ainda há a fazer. Demos depois a palavra à nossa convidada, a autora do livro “(Re)Contos de Violência Doméstica”, Filomena Iria que nos trouxe um pouco da sua história de vida, parte dela materializada no livro que escreveu e que nos apresentou. O tempo foi curto para responder a todas as questões que a plateia (que seguiu toda a sessão em silêncio) lhe colocou. Obrigada Filomena por esta emocionante partilha!

Amanhã dedicaremos o dia ao Tráfico de Seres Humanos, um crime em que se estima que estejam envolvidos cerca de 27 milhões de vítimas!

Obrigada a todos que contribuíram para que este primeiro dia do nosso ciclo corresse tão bem! 

Ficam algumas fotos:

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos


Entre 9 e 11 de dezembro realizaremos na ESFA mais um Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos. Serão três dias de reflexão sobre a temática, incidindo particularmente na Violência Doméstica, no Tráfico de Seres Humanos e na Pobreza e Exclusão Social. Contaremos com a presença de várias organizações convidadas - Núcleo de Atendimento à Vítima de Violência Doméstica de Viseu, Amnistia Internacional e Rede Europeia Anti-Pobreza - às quais, desde já, agradecemos toda a disponibilidade. No primeiro dia, teremos também connosco a Filomena Iria que apresentará o seu livro "(Re)Contos de Violência Doméstica. 
Os alunos do Curso Profissional de Artes do Espetáculo realizarão várias performances alusivas a cada um dos temas em foco e abrirão este ciclo com a apresentação da performance "Manifestamente Melhor - Direitos Humanos em 10 Mandamentos - um texto que criaram especialmente para este evento. 
A exibição de filmes/documentários (Filomena, Quem quer ser Bilionário? "Os novos escravos"), e várias exposições/instalações complementam o programa.

Junte-se a nós nestes dias de reflexão, por um mundo... manifestamente melhor!

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Este mês nas bibliotecas...


Dezembro vai ser um mês recheado de atividades nas Bibliotecas Escolares.
Iniciaremos com as comemorações do  Dia da Pessoa com Deficiência, seguindo-se entre 9 e 11, o Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos (ESFA) e a Feira do Livro (ACO e GEA).
O projeto "Educar para os Valores" do 1º ciclo, o concurso de de presépios e de contos de Natal e o "Natal Diferente" completam as iniciativas.
Mantêm-se os concursos e desafios mensais!

Agora que se aproximam uns dias de descanso, não deixe de ir à biblioteca e leve um livro "para passar o Natal consigo"!

Bom mês... boas leituras!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

"Mulheres de Mkhondo" - um dos casos da Maratona de Cartas 2014

Hoje a assinalar o Dia Mundial da Sida, divulgamos um dos casos da Maratona de Cartas 2014 que iremos apoiar no Ciclo de Reflexão sobre Direitos Humanos que decorrerá entre 9 e 11 de dezembro.  
Mulheres de Mkhondo
Grávidas e recém-mamãs estão a morrer na comunidade de Mkhondo, na África do Sul, por não terem acesso a serviços de saúde pré-natal. A questão do acesso a cuidados médicos está também relacionada com o elevado risco de infeção pelo VIH SIDA e de gravidezes não planeadas. Mais de 10% das raparigas com menos de 18 anos estão grávidas.
Muitas desconhecem a importância dos cuidados de saúde pré-natal, ou não têm acesso a clínicas devido à falta de transporte ou ao seu elevado preço. Há também grandes falhas em termos de pessoal médico com experiência e de meios como ambulâncias.
Na próxima semana, assine as petições!