sexta-feira, 31 de março de 2017

Semana da Leitura - dia 5

Terminámos hoje a Semana da Leitura recebendo, na ESFA, o Rui Fonte que dinamizou a oficina de escrita criativa “Arquipélago de Palavras” na turma do 9º B.
Foram 90 minutos deliciosos, a “brincar com as palavras”, a estimular o lado criativo dos alunos e a demonstrar que escrever, pode ser uma grande aventura!
Muito, muito obrigada ao Rui Fonte por esta inesquecível partilha!

Foram vários os Encarregados de Educação que estiveram também hoje na turma do 10ºB, na aula da docente Fátima Pais, partilhando leituras com os alunos. Bem-haja a todos que fizeram questão de participar, uma vez mais!


E terminámos assim mais uma Semana da Leitura. A todos os docentes, alunos, auxiliares de acção educativa, Pais e Encarregados de Educação e elementos da comunidade que colaboraram nas atividades, o nosso muito obrigada. 

quinta-feira, 30 de março de 2017

Semana da Leitura - dia 4

Hoje durante a manhã, realizámos na ESFA mais uma exibição do documentário Amanhã que recomendamos vivamente a todos os docentes. O Dvd pode ser requisitado na biblioteca.

Durante a tarde, um grupo de alunos do 10ºB participou nas Leituras em Movimento em salas de aula da ESFA e da ACO.




Muito obrigada ao António Rafael, à Juliana, à Francisca e à Mariana e aos docentes que nos receberam: Gracinda Pereira, Helena Completo, Alzira Rocha, Anabela Almeida e Elisabete Cruz.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Semana da Leitura - dia 3

Hoje iniciámos o dia da melhor maneira, recebendo o escritor Domingos Amaral. Formado em economia, e com Mestrado em Relações Internacionais na Universidade de Columbia em Nova Iorque, iniciou a sua carreira jornalística n’O Independente, tendo depois sido diretor da revista Maxmen. Como cronista, escreveu para o Diário de Notícias, Grande Reportagem e Diário Económico. Tem vários romances publicados, dentre os quais destacamos “Enquanto Salazar dormia”, “O retrato da mãe de Hitler”, “Verão quente”, “O fanático do sushi”, “Quando Lisboa tremeu”, “Os Cavaleiros de São João Batista” e “Assim nasceu Portugal” uma trilogia cujo último volume será editado em maio.
Hoje, para além dos romances que escreve, do blogue que “alimenta” quase diariamente, do programa desportivo na televisão onde é comentador, ainda dá aulas na Universidade Católica onde lecciona a cadeira de Economia do Desporto.





A Carolina Vouga fez uma breve apresentação do autor e leu um excerto do livro “Enquanto Salazar dormia” acompanhada à guitarra pelo Pedro Magalhães. Passou de seguida a palavra ao autor que começou por explicar como nasceu a paixão que tem pelos livros desde criança e a forma como a leitura desenvolve diversas competências a vários níveis. Falou depois do seu percurso enquanto aluno de Economia e do jornal universitário que o iniciou na escrita, da passagem pelo Independente e de como nasceu o seu 1º romance. De conversa fácil e bem-humorada, Domingos Amaral falou dos vários romances que já editou, da forma como nasceram as histórias, do processo de construção das suas personagens, do modo como trabalha e respondeu às várias questões que a plateia lhe colocou.


Foi um encontro bastante interessante e enriquecedor com o escritor, que estimulou em muitos dos presentes a vontade de conhecer melhor a sua escrita e que deixou mensagens bastante importantes aos alunos, tais como a valorização da leitura, a importância do trabalho, do método e da determinação para que se alcancem os nossos sonhos.

Muito obrigada a todos os presentes nesta sessão e um grande bem-haja ao Domingos Amaral que esperamos voltar a ver na nossa escola!

Na parte da tarde tivemos mais uma sessão da atividade "Novas leituras" na "Sala do Futuro", desta vez com os alunos de duas turmas do Jardim de Infância de S. Julião.  Muito obrigada também pela vossa presença!




terça-feira, 28 de março de 2017

Semana da Leitura - dia 2

Com o auditório repleto de alunos e docentes, realizámos hoje, no final da manhã, o já habitual espetáculo de partilha de leituras, "Dar voz às Palavras".

Apresentado pelas alunas do 11º ano, Beatriz Lopes e Mariana Lopes, contámos com a presença da Presidente do Conselho Geral, Dra Cristina Matos, que abriu a sessão, partilhando com a audiência o belíssimo texto "A cidade sonhada" do livro “Pensageiro Frequente” de Mia Couto..

Estiveram também presentes dando o seu contributo, o senhor vereador da Cultura, João Lopes, a diretora da Biblioteca Municipal, Dra Maria João Fonseca e o docente Octávio Mendonça.

Foram partilhados 22 momentos de leitura que incluíram várias línguas (português, espanhol, francês, inglês e japonês) e envolveram alunos de várias turmas.

No final foram entregues os prémios do Concurso Nacional de Leitura - fase de escola.


Agradecemos a todos os professores, alunos, funcionárias da escola e elementos da comunidade que contribuíram para esta Festa da Leitura.





Ao início da tarde recebemos na "Sala do Futuro" (Edufor Innovative Classroom Lab) dois grupos de alunos do Jardim de Infância Conde D. Henrique para a atividade "Novas Leituras". Os alunos ouviram a história "A Galinha Vermelha" gravada pelos alunos do 11ºK da Professora Adelina Figueira, entusiasmaram-se com as potencialidades do livro "ABC Funny" e no final desenharam alguns animais, utilizando o quadro interativo, os tablets e os quadros brancos. 


Às 14h e 35m exibimos no auditório o documentário "Amanhã" vencedor dos Prémios César 2016.

Os franceses Cyril Dion, activista, poeta, escritor e a atriz  Mélanie Laurent, andaram pelo mundo à procura de um modo melhor de viver. O resultado é este documentário que tenta mostrar pessoas com soluções para os maiores problemas de sustentabilidade que poderão levar a um futuro catastrófico, sem se focar muito nas piores consequências de continuar tudo na mesma. Tudo com uma perspetiva otimista. 







segunda-feira, 27 de março de 2017

Semana da Leitura - dia 1


Iniciámos hoje a nossa Semana da Leitura com a atividade "Todos a Ler"!

Na escola os alunos do ensino secundário leram uma adaptação do texto "Ler devia ser proibido" de Guiomar Grammon e para o 9º ano foi proposto um excerto de "A Biblioteca Mágica" de Jostein Gaarder. 

Ainda no período da manhã recebemos a vista do Senhor  Presidente da Câmara, Dr. João Azevedo e do Vice-Presidente, Eng Patrício que estiveram nas salas de aula com alunos do 11º e do 12º anos a partilhar leituras. 

No átrio da biblioteca é possível ver a exposição "Palavras Pintadas" cedida pela Biblioteca Escolar de Gouveia. Uma exposição realizada a partir de duas edições comemorativas da obra de Vergílio Ferreira que uniram as palavras do escritor com o traço de Júlio Resende (Estrela 2009 e Aparição, 1968).

Distribuímos leituras pelos alunos e decorámos alguns espaços da escola. Muito obrigada ao Sr. Rui pela fantástica árvore de poesia que nos fez.

Ficam as fotos!


sábado, 25 de março de 2017

terça-feira, 21 de março de 2017

segunda-feira, 20 de março de 2017

Impressões - trabalhos em linogravura


Encontra-se no átrio da biblioteca uma exposição de trabalhos dos alunos do 12º ano de Artes realizados sob coordenação da docente Anabela Pascoal.



Parabéns a todos!

segunda-feira, 13 de março de 2017

Concurso Nacional de Leitura - fase distrital

A fase distrital do Concurso Nacional de Leitura será disputada no próximo dia 26 de abril em Castro Daire.
Os alunos responderão a uma prova sobre as obras selecionadas para o seu ciclo de ensino, tal como consta do quadro que se segue:


O Regulamento pode ser consultado aqui!

quarta-feira, 8 de março de 2017

Marcador de livros


O marcador de livros que oferecemos hoje a assinalar o Dia Internacional da Mulher - a origem da data e uma seleção de livros com a Mulher como protagonista.  
Boas leituras!

Dia Internacional da Mulher

Em 1975 as Nações Unidas instituíram o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher. Uma viagem às origens da data que simboliza uma luta de mais de 100 anos por direitos e igualdade.
Greve em Nova Iorque - 1910
Antes de existir o dia já havia a luta. No final do século XIX as mulheres começaram a sair à rua para pedir mais direitos. Organizações femininas dentro dos movimentos operários protestavam contra as 15 horas de trabalho diárias e os salários baixos.
As origens do Dia Internacional da Mulher chegam a 1857. A 8 de março um grupo de trabalhadoras da indústria têxtil organizou uma marcha em Nova Iorque para exigir melhores condições de trabalho, a jornada diária reduzida para 10 horas e direitos iguais para homens e mulheres. Cinquenta e um anos depois, a 8 de março de 1908, um outro grupo de trabalhadoras em Nova Iorque escolheu a data para avançar para uma greve, homenageando as antecessoras. Queriam o fim do trabalho infantil e o direito de votar.
O primeiro dia consagrado às mulheres e aos seus direitos surgiu um ano depois, assinalando essa greve. Nos Estados Unidos, a 28 de fevereiro de 1909, o Partido Socialista da América instituiu o Dia Nacional da Mulher. No ano seguinte, na Conferência Internacional das Mulheres Socialistas em 1910, em Copenhaga, na Dinamarca, foi aprovada uma resolução que propunha seguir o exemplo norte-americano, dando-lhe um caráter universal. O Dia Internacional das Mulheres nasceu aí e as comemorações foram-se estendendo pela Europa.
Mas há uma outra data importante nesta história - 25 de março de 1911. Nesse sábado, 146 mulheres morreram num incêndio na fábrica Triangle Shirtwaist, em Nova Iorque. A maioria das vítimas era imigrante. Os relatos desse dia contam que as mulheres estavam trancadas num nono andar. Muitas morreram queimadas, outras da queda, depois de se atirarem em desespero pelas janelas. O acidente chocou os norte-americanos e tornou-se emblemático da falta de condições de trabalho para as mulheres.
Num outro contexto, na Rússia, o Dia Internacional da Mulher começou a ser celebrado em 1913, e acontecia no último domingo de fevereiro. Ficou para a história o ano de 1917, durante a Primeira Guerra Mundial. A 23 de fevereiro (8 de março, no calendário gregoriano) centenas de trabalhadoras de fábricas têxteis entraram em greve e saíram à rua num protesto que pedia Pão e Paz.
Tantas referências a 8 de março terão levado as Nações Unidas a eleger a data oficialmente como Dia Internacional da Mulher em 1975.
A luta pelos direitos das mulheres tem mais de um século, mas as conquistas continuam a não ser universais.
Fonte: TSF

terça-feira, 7 de março de 2017

Este mês nas bibliotecas...

Março… mês da leitura!

Iniciamos o mês assinalando o Dia Internacional da Mulher, data instituída pela Organização das Nações Unidas em 1975 para celebrar a luta pelos direitos das mulheres.

As turmas do 5º G e 6º A, com as docentes Paula Amaral e Maria José Espinha, que se encontram envolvidos na iniciativa “Miúdos a Votos” 
participarão este mês na Campanha Eleitoral e na Votação dos seus livros favoritos. Será também lançada uma nova edição do concurso “Spelling” destinada aos alunos do 2º ciclo.

No dia 21 celebraremos o Dia da Poesia e da Árvore e nesta data terá lugar também a sessão distrital do Parlamento dos Jovens que se destina a apurar os representantes do distrito à sessão nacional que decorrerá no final do ano letivo.

Na ACO promove-se a literacia da leitura com sessões dirigidas ao 1º ano.

Os alunos do 12º ano do curso de Artes Visuais irão expor trabalhos de “Linogravuras” realizados com a coordenação da professora Anabela Pascoal.

Entre os dias 27 e 31 de março decorrerá a Semana da Leitura no agrupamento, cujo cartaz brevemente publicaremos.


Bom mês… boas leituras!

quinta-feira, 2 de março de 2017

Projeto Digit - 4rd Training Activity in Romania


No âmbito do projeto “Digit - Digital Storytelling meets the world of work”, um grupo de alunos do 11º L, acompanhados das docentes Esmeralda Martins e Teresa Beja, deslocou-se à cidade de Iasi na Roménia para participar num encontro do projeto com alunos da Finlândia, Grécia, Itália e Roménia. O programa de atividades seguiu o modelo dos encontros anteriores. Após as atividades de receção e as visitas culturais (ao Teatro Nacional de Iasi e ao Palácio da Cultura) foi dinamizado um workshop sobre o método a utilizar - “digital storytelling”- e prepararam-se as visitas a realizar no dia seguinte.
Divididos em grupos, os alunos visitaram as empresas/organizações que se disponibilizaram a colaborar e a partir do material recolhido, refletiram sobre o que viram, criando uma história digital que foi apresentada no último dia.
O grupo da nossa escola aproveitou ainda para visitar a cidade de Bucareste, conhecida como a “Paris do Leste”

Esta foi a última mobilidade externa do projeto em que os alunos participaram. Pelas avaliações realizadas em todos os encontros o balanço é extremamente positivo, sendo referido pelos jovens, que o projeto lhes permitiu adquirir/desenvolver várias competências, tais como, uma maior fluência na língua inglesa; a aquisição de novas competências informáticas, sobretudo ao nível do vídeo; o trabalho de equipa com jovens de outras culturas e experiências, com os quais é preciso muitas vezes "negociar"; o estímulo a serem criativos e inovadores, para além de toda a experiência de viajar para um país estrangeiro (para muitos deles, pela primeira vez) a qual se revela especialmente importante quando se frequenta um curso profissional de Turismo, como foi o caso dos alunos envolvidos.